Paises da Ásia e da América Latina como Equador, Venezuela e Colômbia fazem uso do bambu na construção civil a milhares de anos, sendo que no Equador, na cidade de Guaiaquil, existem casas construídas inteiramente com bambu.
No Brasil, o clima é bom para o plantio, e os valores da cultura do bambu podem ser de grande interesse social. O motivo pelo qual ele não é utilizado em larga escala no Brasil é que além de não existir matéria prima disponível, pois não existe mercado consumidor que demande sua produção, a legislação brasileira não permite utilizar material de fácil combustão dentro do perímetro central.
Numa casa o bambu pode estar presente em tudo. A durabilidade desse material para a construção civil é comprovada considerando-se a quantidade de obras construídas pelos povos asiáticos, tudo depende do trato que se da ao material e da tecnologia empregada.
O bambu pode substituir o ferro em construções de casa, muros, prédios, e etc. No Japão, China e Índia são encontradas casas, prédios de até oito metros de altura, pontes e etc.
Construir casas mais econômicas e escolas no mesmo estilo, de maneira a atender às necessidades da população estudantil e resolver o problema habitacional, pode ser viabilizado pelo bambu, pelo menos em parte.
Como cobertura tanto para casa como para escolas a exemplo do que já se faz em países como a Colômbia, pode-se economizar muito e construir em grande escala.

CUIDADOS

 

Para o bom desempenho do bambu na construção, é necessário tomar certos cuidados.
No caso de uma concretagem com bambu, o bambucreto, é preciso evitar a presença de ar no interior da massa, o que evitara rachaduras após a secagem. Depois todo processo é idêntico ao tradicional.
Os caules do bambu podem ser empregados inteiros, ou em lascas. Os pedaços devem ser cortados junto aos nós, quando usados inteiros e ao ar livre, evitando-se assim que a água acumule-se nas extremidades e livres e provoque futuros apodrecimentos.
Não se deve usar pregos ou parafusos, pois ocasionam rachaduras e estragos no bambu. Quando for necessário fazer a junção de duas peças, usar arame galvanizado, corda ou preencher os ocos com uma madeira dura.

BAMBU EM ESTRUTURAS DE CONCRETO

Ao realizarem estudos sobre o emprego do bambu como reforço de concreto, conclui-se que, para um bom rendimento em concretagem reforçada com bambu:

1-     Ao ser recoberto corretamente, procedendo-se identicamente a utilização do ferro o concreto não apresenta fissuras.

2-     Vigas de concreto reforçadas com bambu têm maior resistência que uma viga de dimensão igual e com as mesmas características, mas que não foi reforçada com bambu.

3-     A capacidade de aderência do bambu é dada pela sua superfície de contato.

4-     Vigas de concreto reforçadas com bambu seco e tratado por emulção asfáltica geralmente possuem maior resistência do que o bambu úmido, que não recebeu tratamento.

5-     Quando for usada a emulção asfáltica, deve-se tomar muito cuidado para impermeabilizar o bambu seco, porque o excesso dessa emulsão funciona como lubrificante, e bambu não adere ao concreto.

6-     Ao se usar o bambu como reforço em concreto, o caule deve ter cerca de três anos de idade e ter sido cortado a pelo menos um mês.

7-     Recomenda-se usar impermeabilizante, que também previne a expansão dentro do concreto.

Propriedades físicas do bambu:

No entrenó No nó
Resistência a tensão: 2.636Kg/cm2 2.285 Kg/cm2
Máxima Mínima
Elasticidade de tensão: 316.395 Kg/cm2 140.000 Kg/cm2
Resistência a compressão: 863 Kg/cm2 562 Kg/cm2
Elasticidade de compressão: 199.000 Kg/cm2 151.869 Kg/cm2
Resistência a flexão: 2.760 Kg/cm2 763 Kg/cm2
Elasticidade de flexão: 220.000 Kg/cm2 105.465 Kg/cm2

Esses dados revelam os valores médios obtidos em ensaios de várias espécies de bambu.
A resistência das fibras varia de acordo com a sua posição na parede do bambu, sendo mais forte as fibras da capa externa que as da interna.

Resistência das fibras:

Parte externa Parte Interna
Flexão: 2.531 Kg/cm2 949 Kg/cm2
Tensão: 3.200 Kg/cm2 1.550 Kg/cm2

O bambucreto pode ser utilizado na construção de colunas de varandas de residências, tanto internamente, isto é dentro de uma estrutura de concreto, como externamente.
Em termos econômicos o bambucreto se mostra mais favorável do que o ferro, pois o bambu é de mais fácil aquisição e transporte, além de oferecer boa resistência flexão e a tração.
Numa peça de bambucreto recomenda-se colocar o bambu um pouco a baixo da linha central da peça, dando-lhe maior resistência.

MODELOS PRÁTICOS

Veja as imagens no link abaixo

Os esquemas construtivos procuram orientar o construtor que procura por umasolução segura, prática e econômica para sua obra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte: http://www.arq.ufsc.br/arq5661/trabalhos_2002-2/Bambu/processo_construtivos.htm

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites
  • email
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • RSS
  • Technorati
  • Digg
  • MySpace
  • Tumblr

Artigos Relacionados: